Você está lendo o Diário de Iza.

Muito obrigada por estar aqui dando ouvidos ao que estou dizendo.


Este é um blog simples, criado por alguém que adora rabiscar na Internet. Saiba mais como funciona aqui...


Aqui você encontra:-

  • Textos simples escritos no momento em que estou pensando.
  • Reflexões e dúvidas sobre a vida, a maioria já superadas.
  • Evoluções de pensamento!)
by · 9 comentários:

O Aniversário de Meu Marido

Eu não entendo o motivo pelo qual as pessoas "que se conhecem pessoalmente"; ao invés de abraçar pessoalmente ou ligar no telefone de alguém querido, preferem o contato apenas pelo mundo virtual.

Eu não compreendo as declarações virtuais de amor e carinho para quem se pode dar um passo e dizer tudo olhando no olho do outro ou se muito distante, no ouvido, por telefone.

Hoje é o aniversário do meu marido. Como todas as pessoas normais eu até gostaria de fazer uma declaração via Internet dizendo que o amo e tudo mais. 

Como não tenho um marido "online e conectado" e sei que ficaria incomodado com uma declaração virtual não escrevo nada. 

Dou um passo e digo a ele tudo o que poderia escrever aqui. 
Read More
by · 19 comentários:

Porque um blog acaba?

Eu tenho um blog ( só eu tenho acesso a ele ) onde coloco a lista de blogues que gosto de acompanhar. Na lista eu contei uns cinco blogueiros que estão blogando com toda intensidade.

A grande maioria dos blogueiros que acompanho estão parados ou desistiram de blogar.

Por que um blog acaba? Quais são os motivos que levam o blogueiro a desistir?

Eu não falo nos blogs cuja intenção principal seja fazer sucesso ou apresentar artigos ou obras literárias. Falo nos que blogam como eu. Apenas por prazer.
Read More
by · 5 comentários:

Não somos a medida de todas as coisas.

Não somos a medida de todas as coisas. Não existe batalha pior, ou melhor. 

Existem guerras que cada um de nós tem de enfrentar e não podemos nos achar parâmetro para nada. Não existe sofrimento pior, ou melhor, do que o nosso. 

Cada um tem a medida certa para enfrentar qualquer batalha. Não podemos pegar a régua do nosso sofrimento e medir o sofrimento do outro. Não somos a medida de todas as coisas. 

Todo mundo enfrenta ou já enfrentou diversas batalhas na vida. Cada batalha acontece dentro do nosso universo particular, Não somos a medida de todas as coisas. Não há sofrimento maior ou menor. 

Eu nunca gostei daquele pensamento da maioria das pessoas onde se diz: “olha ali o sofrimento de fulano”, “aquilo é sofrer mais”. Não existe sofrimento maior ou menor. As réguas para medir sofrimento são individuais. 

Nunca vamos conseguir pegar nossa régua de medir e medir o que o outro está passando. O outro pode ter recursos para suportar o que a gente não suportaria e a gente pode ter recursos para suportar o que o outro não suportaria. 

Eu fico feliz quando encontro pessoas conseguindo sorrir apesar de tudo o que podem estar passando. Tento receber com carinho toda pessoa que chega até mim. 

Nunca se sabe o que a pessoa está enfrentando. Não somos a medida de todas as coisas.
Read More
by · 3 comentários:

Estranhos barulhos

Sabe, diário?


Ontem, a noitinha, estávamos conversando eu e a minha filha quando ouvimos um barulho muito forte de vidros quebrando.



Pensamos que fosse nos vizinhos, mas como era muito forte acreditamos que o barulho vinha da nossa cozinha. Corremos para a cozinha e estava tudo intacto.

Eu disse para a minha filha que não diríamos nada a ninguém. Que deveria ter uma explicação física para aquilo. Se disséssemos aos nossos parentes sem constatar o que realmente havia acontecido, logo viriam dizendo que era coisa de outro mundo e outras crenças e crendices que, embora eu acredite que exista; primeiro tenho que eliminar todas as hipóteses físicas.

Daí a filha lembrou que nossa cozinha e a sala ficam nos extremos da casa e que muitos barulhos que ela pensava que vinham da cozinha, na verdade, eram barulhos que começavam na sala.

Corremos para a sala.

Na sala estava uma antena interna de TV caída no chão de um lado e do outro um espelho redondo que eu havia comprado.

Eu só falei para minha filha. Ainda bem que não foi o espelho grande da sala. O grande tinha custado mais caro.
Read More