Você está lendo o Diário de Iza.

Muito obrigada por estar aqui dando ouvidos ao que estou dizendo.


Este é um blog simples, criado por alguém que adora rabiscar na Internet. Saiba mais como funciona aqui...


Aqui você encontra:-

  • Textos simples escritos no momento em que estou pensando.
  • Reflexões e dúvidas sobre a vida, a maioria já superadas.
  • Evoluções de pensamento!)
by · 2 comentários:

Sobre a solidão

A solidão em cidade pequena é muito pior do que a solidão em cidade grande. 
Na cidade grande é uma solidão mais chique. Com muitos lugares para ir.

Pedi para marido vir me buscar. ´Nessas férias é melhor estar no campo.

Não gosto tanto de estar no campo como gostava antes, mas estando lá posso conversar com animais e plantas. Marido não é de muita conversa.

Read More
by · Um comentário:

Expectativas não criadas

Fiquei pensando em algumas particularidades que tenho. Uma delas ( creio que isso me protege ) é o fato de não criar expectativas.

Para cada situação, imagino uma série de hipóteses. Ou não imagino nada. Vejo as pessoas ( no cotidiano ) falando em frustração e sinto o quanto construíram suas bases em cima de algo que não era real.

Talvez isso (  não criar expectativas ) me torne uma pessoa um pouco mais fria, mas me protege. Sou muito sensível.
Read More
by · 2 comentários:

Não somos a medida de todas as coisas

Não existe batalha pior, ou melhor.

Existem guerras que cada um de nós tem de enfrentar e não podemos nos achar parâmetro para nada. Não existe sofrimento pior, ou melhor, do que o nosso.

Cada um tem a medida certa para enfrentar qualquer batalha. Não podemos pegar a régua do nosso sofrimento e medir o sofrimento do outro. Não somos a medida de todas as coisas.

Todo mundo enfrenta ou já enfrentou diversas batalhas na vida. Cada batalha acontece dentro do nosso universo particular, Não somos a medida de todas as coisas. Não há sofrimento maior ou menor.

Eu nunca gostei daquele pensamento da maioria das pessoas onde se diz: “olha ali o sofrimento de fulano”, “aquilo é sofrer mais”. Não existe sofrimento maior ou menor. As réguas para medir sofrimento são individuais.

Nunca vamos conseguir pegar nossa régua de medir e medir o que o outro está passando. O outro pode ter recursos para suportar o que a gente não suportaria e a gente pode ter recursos para suportar o que o outro não suportaria.

Eu fico feliz quando encontro pessoas conseguindo sorrir apesar de tudo o que podem estar passando. 

Tento receber com carinho toda pessoa que chega até mim.

Nunca se sabe o que a pessoa está enfrentando. Não somos a medida de todas as coisas.
Read More