Só o Ser existe.

"Tudo vai, tudo volta; eternamente gira a roda do ser. Tudo morre, tudo refloresce, eternamente transcorre o ano do ser. Tudo se desfaz, tudo é refeito; eternamente constrói-se a mesma casa do ser. Tudo se separa, tudo volta a se encontrar; eternamente fiel a si mesmo permanece o anel do ser. Em cada instante começa o ser; em torno de todo o "aqui” rola a bola "acolá”. O meio está em toda parte. Curvo é o caminho da eternidade."

Nietzsche

Até que ponto a gente permite que sejam sinceros com a gente?

Dia desses (com minhas idas e vindas pelas redes sociais) uma menina disse, de modo muito carinhoso, que não queria me acompanhar mais e nem ler o meu blog, que estava cansada de me seguir, que não aguentava minhas idas e vindas. 

A mocinha (que conheço apenas do mundo virtual) até se desculpou temendo que eu ficasse magoada com o que ela disse. Respondi que não ficava magoada mesmo, que sinceridade e transparência é uma das coisas que mais admiro nas pessoas. 

Como eu poderia ficar magoada com alguém que, de forma educada, foi sincera comigo? Fiquei admirando a moça, mas como é do desejo dela, resolvi não acompanhá-la também. Gosto dela e por isso deixo-a livre. Eu realmente chateio com essas minhas trocas constantes de perfil na Internet. ( Nesse momento sinto vontade de voltar para as redes sociais e por isso só amigos me aguentam ali)

No cotidiano as pessoas já sabem. Comigo tem de falar o que é, sempre. Prefiro uma verdade bem dita do que “doces mentiras” para agradar. E até que ponto a gente permite que sejam sinceros com a gente? 

Eu permito e prefiro sinceridade e transparência sempre, mas na vida encontrei pessoas que se diziam não gostar de falsidade e aí quando foram sinceras com elas, “quase morreram” de mágoa. Não entendo!

Por essas e outras dizem que sou uma pessoa que sempre comete "sincericídeo", ou seja, sempre digo o que penso e exatamente como estou pensando e quando algumas pessoas não gostam do que digo se magoam.  
Isso que sou uma pessoa que tem um modo meigo de falar. Se eu fosse alguém que falasse de modo mais alterado iam querer minha cabeça, eu acho.

Reencantamento do Mundo


Li, agora mesmo, neste blog aqui, um texto falando sobre o reencantamento do mundo e fiquei feliz por saber que existe muito mais pessoas em busca do que é bom, justo e belo; do que ao contrário. Isso me deixa feliz, pois, no cotidiano é sempre o que tento fazer. Mesmo quando estou na Escola onde tenho que ter sempre uma atitude bem firme com alunos e professores, procuro cultivar o lado bom. Procuro ser o mais humana possível. Procuro compreender e exigir na mesma medida.

Para tanto, não posso mesmo estar nas redes sociais. Só o Google+ que é uma rede essencialmente composta por blogueiros. Em termos virtuais e falando de encantamento só um blog salva. Não sei você, mas eu, em termos virtuais só consigo me encantar com blogs. Redes sociais desencantam-me e distorcem minha realidade.

A gente não precisa ir muito longe para fazer um mundo melhor. As pequenas ações diárias com as pessoas que estão próximas a nós possibilitam isso de reencantar o mundo.