Não à reforma da previdência

Quarenta e nove anos de contribuição para uns, não é a mesma coisa para outros. Não em termos de desgaste físico e emocional.


Não se pode pensar numa reforma que coloca no mesmo nível os que trabalham:  

  • nas lavouras, 
  • nas ruas reprimindo a criminalidade, 
  • nas escolas lidando com personalidades desajustadas, 
  • nos supermercados repondo os estoques, 
  • nas residências fazendo faxinas eternas,
  • na construção civil, sofrendo todo tipo de variação térmica
  • na indústria, fazendo movimentos repetitivos,
com aqueles que trabalham..
  • no gerenciamento das funções,
  • em lugares voltados para o bem estar do trabalhador,
  • em ambientes confortáveis.
E não é bem assim, que funcionários municipais e estaduais serão poupados. 
Municípios e estados terão um tempo para se adequar a nova lei. E será o mesmo para todos, porque sempre vale a lei maior.

Por que senadores e deputados estão fora? Por que se aposentam em tão pouco tempo?

Uma certeza:
Eles não querem melhorar as coisas para o povo. Querem melhorar para as grandes corporações, que indiretamente mandam no País.

Comentários