Sobre estar no Facebook

Volta e meia falo sobre Facebook aqui no blog.

É que tenho um conflito muito grande com o estar nas redes sociais. Eu gosto de estar, mas num determinado momento, momento em que eu não sabia como começava, ia lá e desativava as minhas contas.

Depois disso, imediatamente criava outra e não entendia porque estava acontecendo aquilo com minha psicologia.

Ontem eu conversei com uma pessoa amiga e ela me ajudou a identificar porque eu fazia essas trocas de perfil.

Prometi a ela que toda vez em que estivesse pensando em desativar minha conta ia conversar com ela e tomaríamos a decisão juntas.

Nunca tinha conversado ( profundamente ) com ninguém sobre isso.
A sensação que  tenho ( quando troco de perfil ) é como o peixinho do aquário. Tentando pular para outro aquário com tudo novinho. 



Amigos Virtuais

Peguei, na biblioteca da Escola, para ler neste feriado, o livro Nascidos na Era Digital.
Nasci antes desse período, mas, lendo as primeiras páginas, fiquei sabendo quando os blogs começaram a aparecer.  Apesar da fila enorme de livros que tenho para ler, esta é uma leitura que me agrada e da qual tenho curiosidade de saber mais.

Lendo, lembrei dos amigos virtuais e, de uma pessoa, que há quase dois anos está afastada da blogosfera. A última postagem dela foi essa. Desde lá, não se sabe muito bem o que aconteceu.

Eu gostava muito de ler o Luz de Luma porque traduzia melhor do que eu mesma, as coisas que sentia. Constantemente me encaixava nas postagens dela e na forma como ela pensava.

Abaixo um trecho do que ela escreveu em Amigos Virtuais:
"É muito triste quando um blogue deixa de existir, mais ainda quando é o blogueiro que parte dessa vida - Nesse momento, imagino que muitos estão se lembrando dos amigos virtuais que perdemos e que soubemos de seus falecimentos. Também de outros que somem, não deixam recado ou não se previnem para quando acontece o pior." 
Outro trecho da mesma postagem:
"O mais engraçado é que lembro-me dos meus amigos virtuais como se eles fossem reais. É algo muito estranho, porque muitas vezes sabemos mais da pessoa lendo ela, do que de pessoas que são "reais", mas que não se abrem em conversas mais profundas. São os velhos "conhecidos", aquelas pessoas que passam por nós todos os dias e mantemos conversas superficiais. São pessoas que a gente vê mas não enxerga por dentro. Na blogosfera é diferente; por aqui encontramos almas que se mostram e se há identificação, queremos colar a nossa alma na dela."
Hoje, percebo que, as redes sociais "engoliram" muitos dos blogueiros que blogavam com  alma. E fico pensando se a era dos blogs está passando...  A gente pode sentir isso pelos comentários. Antes, todo mundo comentava todo mundo.  Hoje não é mais assim... 


O Sentido da Bonequinha na Janela

No fim de semana viajamos para Piratini,
Fomos conversando, entre várias coisas, sobre o fato de eu ter um blog.

Na verdade, eu fui falando a viagem inteira e João ( de pouca conversa ) só na base do sim e não.
Nós nunca tínhamos conversado sobre isso. Não sabia se ele já tinha visto o diário.


Pedi para ele parar porque queria mostrar no blog o pontilhão que a gente tinha que passar.


Que medo de passar aqui. Um desses pontilhões está quase caindo...
Eu: Tu já viste meu blog?

Ele: Acho que sim.

Eu: É o Diário de Iza...

Ele: O da bonequinha na janela?

Eu: Sim. Sabes o sentido da bonequinha na janela?

Ele: Não.

Eu: A bonequinha é meu corpo de expressão no mundo virtual. Através dela escrevo apenas com a aima, desprovida de corpo. É como estar na Janela, conversando com pessoas que passam na minha calçada virtual.

Ele: Para quem gosta de conversar, como tu, deve ser legal.

Uma linda flor

Sempre quando vamos a Piratini, encontro essa linda flor.
Disseram-me, os que moram lá, que a planta já foi mais florida...
Está perto de outras plantas mais altas...
Não sabia qual era o nome dela. Esqueci de perguntar para o pessoal da casa.
Daí postei a foto na rede sociai e as pessoas me disseram que é:  "primavera ou buganvília púrpura"

Um encanto de flor!   

Alegrias do Mundo

Tenho comigo que não é que o mundo esteja tão pior do que era antes. 

É que agora, com tanto acesso às informações, ficamos sabendo de coisas que, antes, a pessoa morria e nem ficava sabendo da metade das coisas que aconteciam no mundo.

Penso que tenho fugido da proposta desse blog. 

Aqui, gostaria de registrar, na maior parte das vezes, as coisas belas do mundo. 

Nunca quis ser, tanto aqui, quando no cotidiano, uma disseminadora de más notícias. 

Prefiro ser uma das responsáveis por disseminar as alegrias do mundo.

A foto que ilustra essa postagem, encontrei aqui

Tem como não ser alegre num lugar tão lindo quanto esse?

Fico imaginando como seriam as pessoas que moram aqui...

Para espalhar flores e cores por onde se mora, só pode ser uma comunidade muito feliz.

Tomara que eu não esteja errada.